"Eu sabia, desde que me lembro, que queria e precisava que a expressão criativa fosse uma parte central da minha vida, mas não fazia ideia de que meu caminho mudaria tão drasticamente da moda para a cerâmica."

 

Uma conversa linda e inspiradora com a Hanna, as mãos talentosas por trás das cerâmicas minimalistas mais expressivas. 

 

 

 

 


A ceramista sueca, Hanna Englund, trabalha em seu estúdio localizado em Santa Teresa, no Rio de Janeiro. Produz cerâmicas únicas, minimalistas e expressivas, unindo o estilo escandinavo com a influência tropical. 

Sua Coleção JACA é um ode à natureza. Todos os vasos e tigelas são feitos da verdadeira jaca carioca. O conceito da Coleção é enfatizar texturas interessantes.

"Adoro a ideia de imortalizar essas frutas e capturar suas características maravilhosas. Assim como a fruta real, cada peça é única e tem uma forma ou tamanho ligeiramente diferente. As formas orgânicas, na minha opinião, são sempre muito mais interessantes aos olhos.", diz Hanna.

 

     

    

 

 

             

 

 

A Coleção Biomorphic, traz inspiração de formas abstratas e obras esculturais maiores, inspiradas por grandes escultores modernistas, canalizando abstrações cruas e orgânicas.

"Sou fã do design moderno de meados do século e das formas orgânicas e arquitetônicas. Foram todos influentes em me ensinar como criar essas formas semelhantes a cavernas, e o movimento e as sombras dentro dessas formas.Também amo os trabalhos de Le Corbusier, Noguchi, Lina Bo Bardi, Picasso, Calder, Brancusi e Arp."

 

 




   

"Meu trabalho é reflexo de todas as influências que o Rio de Janeiro me deu, aliadas à minha herança escandinava. Limpo e minimalista, mas também ousado e expressivo."

 

Me conta um pouco sobre a sua trajetória?

Depois de mais de 15 anos na indústria da moda, finalmente comecei a fazer cerâmica. Percebi que queria criar algo que seguisse minha paixão e que fosse feito com minhas próprias mãos. 

Eu sabia, desde que me lembro, que queria e precisava que a expressão criativa fosse uma parte central da minha vida, mas não fazia ideia de que meu caminho mudaria tão drasticamente da moda para a cerâmica.

Em 2018, durante minha licença maternidade no Brasil, decidi me matricular na minha primeira aula de cerâmica e me apaixonei instantaneamente. Lembro que fui para casa, depois da primeira aula, completamente suja, coberta de barro e com um grande sorriso no rosto. Havia algo fisicamente que parecia tão certo, tão genuíno. É difícil colocar em palavras, mas trabalhar com minhas mãos e argila, me dá uma sensação de calma e satisfação que provavelmente não experimentei em mais nada. Comecei a passar todo o meu tempo livre lendo e assistindo a vídeos sobre cerâmica. Fiquei obcecada, e de repente me inscrevi em aulas de cerâmica todos os dias da semana com professores diferentes. Queria aprender todas as técnicas; o torno, construção manual, fundição de deslizamento, fabricação de moldes, esmaltação...

Rapidamente percebi que há muito para explorar! A cerâmica é uma daquelas coisas em que quanto mais você aprende, mais você percebe que não sabe, e isso a torna eternamente intrigante para mim.

Cerca de um ano após minha primeira introdução ao barro, decidi converter nossa garagem em um pequeno estúdio e me dedicar em tempo integral ao meu ofício e negócio. Coloquei toda a energia que tinha para fazer dar certo. Em seguida, meu trabalho chamou atenção de influenciadoras e também de grandes publicações, incluindo Vogue, Casa Vogue, Glamour. O que vi em seguida foi um rápido crescimento, tanto no meu seguimento nas mídias sociais, quanto no meu negócio como um todo.

Em 2021, recebi as chaves do meu primeiro espaço físico, meu estúdio localizado em Santa Teresa, e finalmente consegui comprar meu primeiro forno, que foi uma sensação incrível! 

A cerâmica me levou a uma jornada tão emocionante e gratificante, que constantemente me conecta com pessoas inspiradoras.

 

 

 

 

Por que escolheu o Rio de Janeiro para morar?

Eu me mudei para o Rio por causa do amor. Em 2011, vim para o Rio em férias de trabalho e conheci meu marido, Daniel. Me apaixonei profundamente. Daniel é argentino, mas mora no Rio há 15 anos, então ele é quase carioca!

Naquela época que nos conhecemos, eu morava e trabalhava na China, então por 3 anos, viajamos de lá pra cá. Eu para o Rio e Daniel para Xangai e Estocolmo. Depois de alguns anos de relacionamento a longa distância, finalmente decidi me mudar para ele. Não foi uma decisão fácil. Uma coisa é se mudar para o exterior quando você tem vinte e poucos anos, antes de ter feito conexões fortes. Mas quando você tem 33 anos, já estabelecido e construiu uma vida boa e sólida, com uma carreira e um grupo de amigas fantásticas, não é facil! Tirei uma licença do meu trabalho e a ideia inicial era ficar apenas 2 anos no Rio, e depois voltar para Estocolmo. Mas minha vida tomou um rumo inesperado quando encontrei uma nova paixão pela argila. E o resto é história...

Mudar para o Brasil realmente mudou minha vida, abriu tantas oportunidades para mim que talvez eu não tivesse antes. Eu sou eternamente grata pela mudança que me levou a este novo caminho na vida.

 

 

 

 

 

 

O que te inspira?

A natureza em todas as suas formas. Adoro buscar inspiração em formas orgânicas onde cada objeto tem sua própria característica de identidade, como as maravilhosas jacas. Para mim, a beleza é mais interessante quando vem na forma mais pura e natural. É lindo e está sempre mudando, cada parte é única.

A inspiração vem quando não estou procurando por ela. Rio de Janeiro é uma das cidades mais bonitas do mundo e a natureza aqui é incrivelmente linda, de uma energia profunda e poderosa. As paisagens deslumbrantes e a natureza estão por toda parte, é impossível não se inspirar nela. Um dos meus lugares favoritos no Rio é o Parque Lage, onde tive o primeiro contato com as magníficas jacas - as texturas e formas me fascinam muito!

 

  


 

 

O que você mais gosta no Brasil? 

Eu amo o Brasil porque aqui tenho todas as coisas naturais que preciso. Moro a cerca de 2 minutos a pé da praia e ter o mar tão perto é como terapia. O sol, o pôr do sol, o nascer do sol, o mar, a beleza natural e tropical me fazem feliz a cada dia. Eu amo o fato de que meus filhos podem passar tanto tempo ao ar livre durante todo o ano. 

Outra coisa que gosto muito no Brasil são as pessoas calorosas e espontâneas, e a música maravilhosa. Há muito para ver e muito para aprender aqui.

Viver no Brasil influenciou o estilo de vida em que sou capaz de fazer o que faço. Sou tão privilegiada por poder me concentrar em algo tão pacífico e gratificante quanto fazer cerâmica para viver.


       

 

    

 

"Continuem apoiando e cuidando uma das outras. Não há limite para o que nós, como mulheres, podemos realizar. Ser uma mulher com um negócio, me faz realmente apreciar e sentir ainda mais respeito por outras mulheres empreendedoras – definitivamente ainda existem barreiras para as mulheres. Infelizmente, o sexismo ainda existe e torna isso um pouco mais difícil quando você é uma mulher. Sou inspirada por mulheres que passam por isso."

 

 

Conheça o trabalho da Hanna aqui.


Deixe um comentário

×